A Importância dos Processos de Vendas de uma Empresa

As vendas são o fator principal de qualquer negócio e sem ela qualquer negocio estará condenado ao fracasso, afinal, sem venda não tem faturamento. Quando pensamos em vender mais, dificilmente a primeira coisa que nos vem à cabeça é a importância de ter processos claramente definidos.

Montadoras se destacam na lenta recuperação da indústria

O setor tem se recuperado de tal maneira que, no mês passado, a Anfavea revisou as projeções para o ano

A quinta-feira deve ser mais um dia de bons números para a indústria automotiva, em contraste com outros setores que deram uma amostra — na divulgação de números no início da semana — de como a recuperação do país ainda é lenta. A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores publica hoje os dados da produção de veículos em setembro.

Na terça-feira, a Fenabrave informou que a venda de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus cresceu 24,5% em setembro, na comparação com o mesmo período de 2016. No acumulado do ano, foram vendidos 1,62 milhão de veículos novos no país – uma alta de 7,36% sobre o verificado no mesmo período do ano passado.

Fonte: Exame

Confiança Empresarial avança e atinge maior nível desde dezembro de 2014

 

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) subiu 1,3 ponto em setembro, para 87,3 pontos1. Após a terceira alta consecutiva, o índice atinge o maior nível desde dezembro de 2014 (87,6 pontos).

“O bom resultado do ICE em setembro mostra que a recuperação da economia ganha força, se dissemina entre os diferentes setores e se sobrepõe aos ruídos do ambiente político, responsáveis pela rateada do índice em junho. Um bom sinalizador de consistência da atual tendência de alta da confiança empresarial é a lenta mas contínua melhora da percepção sobre as condições correntes do ambiente de negócios”, afirma Aloisio Campelo Jr., Superintendente de Estatísticas Públicas do FGV IBRE.

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) consolida os índices de confiança dos quatro macro setores cobertos pelas sondagens empresariais produzidas pelo FGV IBRE: Indústria, Serviços, Comércio e Construção.

Considerando-se os dois horizontes de tempo da pesquisa, a maior contribuição para o aumento da confiança empresarial em setembro foi dada pelo Índice de Situação Atual (ISA-E), que cresceu 1,2 ponto em relação ao mês anterior, alcançando 82,9 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE-E) avançou 1,0 ponto, para 93,8 pontos.

Este foi o terceiro mês consecutivo em que o ISA-E avançou mais que o IE-E, levando a distância entre os dois indicadores a recuar para 10,9 pontos, menor desde maio de 2016 (6,4 pontos). A maior distância entre os dois indicadores continua sendo observada no setor da Construção (23,0 pontos), seguido por Comércio (11,2), Serviços (8,4), e Indústria (4,3).

Em setembro, a confiança avançou em todos os grandes setores. A maior contribuição para a alta de 1,3 ponto do ICE no mês foi dada pelo Comércio (0,6 ponto), seguida pelo setor de Serviços (0,5 ponto). A Indústria e a Construção contribuíram com 0,1 ponto cada.