Pequenos negócios e empresas Familiares – Qualidade na Gestão para Enfrentar a Crise

Em tempos de crise econômica, queda nas vendas e, por consequência, diminuição da lucratividade, liga-se o sinal de alerta, isto quando se tem itens de controle de indicadores.

A busca pelo aumento da produtividade e redução dos desperdícios deveria ser um dos principais objetivos de qualquer plano estratégico de gestão e, além disso, ser pauta de discussão e análise em qualquer reunião de liderança com pares ou equipes de liderados.

Estilo de gestão reativo

O problema é que a qualificação do modo de gestão passa a ser assunto somente quando as vendas caem, quando as metas de faturamento ficam abaixo do esperado. Isso só é diferente para aquelas empresas que possuem uma razoável preocupação com o futuro e uma visão mínima de planejamento estratégico.

Porque somos tão lentos? Porque demoramos tanto a perceber ou acreditar que, se não agirmos rapidamente, poderemos ter problemas sérios em relação a sustentabilidade e longevidade do nosso negócio?

Uma questão cultural

Essa postura é muito forte em pequenos negócios e empresas familiares e está refletida em algumas características relativas ao modelo de gestão praticado pela empresa, bem como a  sua equipe de lideranças:

  • A cultura organizacional está atrelada ao perfil dos fundadores do negócio, os quais normalmente são grandes empreendedores, que construíram suas empresas com muito trabalho e competência, enfrentando obstáculos, mas crescendo mesmo assim (escuto muito a frase: “já enfrentei várias crises, essa é apenas mais uma, vamos superar!”);
  • Esse perfil normalmente é extremamente centralizador, criando uma distância enorme do “dono” em relação a sua equipe de tomada de decisão, estimulando um time de gestores com perfil de “cumpridores de ordens” e, por consequência, com baixa capacidade analítica para enfrentamento de problemas (mesmo tendo formação e capacidade para isso);
  • Pouca preocupação com planejamento e previsibilidade, pois empreendedores possuem como principais qualidades, a facilidade de identificar oportunidades e a capacidade de concretizá-las, complementadas com otimismo e coragem para arriscar;

Podemos citar outras características de perfil, mas essas já possibilitam a reflexão sobre o tema em questão.

O fato é que o cenário atual nos obriga a mudar a maneira como administramos nossas empresas. É como ensina o ditado:

“O sucesso de ontem não garante a continuidade do nosso negócio hoje”.

Até porque as relações empresariais mudaram, o mercado está mais complexo, o cliente mais exigente e com mais capacidade de escolha, a concorrência se profissionalizou para brigar pelo mesmo espaço no qual atuamos. Somente essas afirmativas pontuadas dentro da perspectiva “clientes e mercado” já justificam uma nova cultura organizacional, que valorize a gestão baseada em fatos e dados, a antecipação e enfrentamento de problemas, bem como líderes e equipes engajadas, com alto desempenho.

 

É preciso refletir sobre algumas questões chaves e perceber em que nível a empresa se encontra neste momento. A própria reflexão possibilita a criação de um caminho de ação e evolução na busca por um novo modelo de gestão muito mais competitivo e preparado para enfrentamento das adversidades:

  • Existe uma estratégia definida, com objetivos claros, metas atingíveis e difundidas em todos os níveis organizacionais: estratégico, tático e operacional?
  • Porque a gestão é feita por todos, de modo que, seas responsabilidades e metas forem distribuídas de forma clara, todos irão se sentir valorizados e poderão contribuir pelos objetivos de resultado.
  • As metas de todos são gerenciadas de modo sistemático, com reuniões previamente agendadas e monitoradas, com acompanhamento do desempenho e avaliação crítica das ações corretivas propostas e realizadas pelos gestores e suas equipes?
  • Só desta maneira será possível realizar objetivos e alcançar a melhoria contínua, focando nas metas não alcançadas e antecipando ações para reversão de resultados indesejados. Na prática, isso é enfrentamento de problemas.
  • Os gestores e equipes são avaliados periodicamente no âmbito comportamental, com método e ferramenta adequada?
  • Avaliar individualmente os comportamentos desejados para atender as necessidades da empresa são fundamentais para responder de maneira correta as questões anteriores. Exemplo de competências fundamentais: atitude proativa, análise crítica, visão sistêmica, entre outras.

O caminho aqui sugerido é indiscutivelmente o mais curto para qualificar o modelo de gestão, melhorando desempenho e aumentando produtividade em todos os níveis da organização. Se além disso, ainda houver gestores e equipes capacitadas, com uma metodologia clara para implantação do novo modelo de gestão, acompanhada por uma ferramenta de apoio que torne a execução deste modelo eficaz, com absoluta certeza, será menos tortuosa a caminhada, e muito mais fácil de ser trilhada por todos.

Receita Federal cancela o PERT de mais de 700 “viciados em Refis”

Foram canceladas as adesões ao Programa Especial de Regularização Tributária (PERT) de mais de 700 contribuintes por falta de pagamento das obrigações correntes, em um total superior a R$ 1 bilhão, ao mesmo tempo que mais de 4.000 contribuintes estão sendo cobrados para que se regularizem.
Para que o contribuinte possa usufruir das reduções de multas, juros e encargos legais instituídas pela Lei nº 13.496, de 2017, que criou o Pert, é necessário que mantenha em dia as suas obrigações tributárias correntes, pois a mesma lei instituiu que a adesão ao Pert implica dever de pagar regularmente os débitos vencidos após 30 de abril de 2017.
Para usufruir dos benefícios instituídos pelo PERT é fundamental que os optantes mantenham o pagamento das suas obrigações correntes em dia, pois a inadimplência por 3 (três) meses consecutivos ou 6 (seis) meses alternados implicará exclusão do devedor do PERT.

Fonte: Receita Federal do Brasil

RESULTADOS ATRAVÉS DE PROCESSOS COM INÍCIO, MEIO E FIM

Uma consultoria empresarial dará todo suporte necessário para que você faça um planejamento, estabeleça novas metas e as estratégias para alcançá-las. Ela contribuirá para que sua empresa se mantenha focada nos resultados que deseja alcançar, trabalhando dentro de um cronograma com prazos determinados para atingir os objetivos pré-estabelecidos. Assim, a sua empresa garante mais controle e consegue acompanhar todo o desenvolvimento do projeto.

 

OUTRA VISÃO SOBRE OS PROBLEMAS EXISTENTES NA EMPRESA

Muitas vezes, é somente com um olhar de fora que é possível identificar um problema e o que deve ser feito para solucioná-lo. E é exatamente isso que a consultoria empresarial da Hanna Consult pode lhe oferecer um olhar de fora que é capacitado e especializado para isso — através de pesquisas, o profissional encarregado pela sua empresa não só vai identificar um possível problema como também o resolverá — diminuindo assim custos e potencializando os seus resultados. É muito importante que o empreendedor se atende às questões especificas de seu negocio. Consulte nossa equipe.

 

Só há uma forma de saber: fazendo

Hoje tendo contato direto com diversas pessoas, ricas, pobres, influenciadores, desconhecidos, consigo ver quantas ideias, quanta coisa nós podemos fazer. Coisas que podem ser grandiosas, outras que podem não dar certo.

O certo é que, um corpo em inércia, não vai a lugar algum.

Vejo hoje que há uma grande preocupação em conhecer, em ler, em ter conhecimento, mas muito medo de se adquirir experiência, muitas vezes por medo de que esta seja negativa. Nesses casos, eu sempre digo, não há nada mais libertador que fazer!

Todo passo precisa ser calculado. Não se pode confundir liberdade com libertinagem. Mas como precisamos de fazedores. Como tem pessoas que precisam de apoio, daquele empurrãozinho para fazer coisas. Quem nunca passou pela situação de querer fazer algo e ficar naquela tensão: “faço ou não faço”, como quando a gente quer pular numa piscina mas tem medo da altura e pensa na viagem de lá até a água? E quando pulamos vem aquela sensação de “porquê eu não fiz isso antes?”.

Quero encerrar o artigo com aquela frase pragmática: seja a mudança que você quer para o mundo. Há instituições, organizações, empresas, pessoas, projetos, procurando por você. Procurando pelas habilidades que você tem, ou pode desenvolver, para ajudar nessa mudança. Se você tem uma ideia, um projeto, algo que você tem paixão, lute por isso, não há uma forma melhor de construir algo grande que dar o primeiro passo.

Se você precisa de alguém pra ajudar a fazer, procure. Se precisa de uma habilidade, desenvolva ou procure por quem já a tenha. Comece a falar daquilo que fervilha em você para as pessoas, comece a se relacionar com pessoas que tem o mesmo ideal, o mesmo propósito. Para cada ação há uma reação. A única ação que não tem reação é a inércia!

João Lourenço Silva

Diretor Mindset Exponencial | Produtor de Conteúdo